Balneabilidade do Rio da Madre preocupa a Reserva Mundial de Surf

Geraldo, Caio, Sandro Vidal, Dr. Guilherme, prefeito Camilo, Kito, Artur, Adriano e Gabriel (esq. p/ dir.)

Representantes do Comitê Gestor Local da Reserva Mundial de Surf (RMS) da Guarda do Embaú, praia que integra a rede global da Save the Waves Coalition (STW) para proteção das ondas, estiveram reunidos na última segunda-feira, 29, no gabinete do prefeito de Palhoça, Camilo Martins, para solicitar fiscalização urgente e contínua dos órgãos competentes referente à possibilidade de lançamento de esgoto no Rio da Madre e sugerem uma campanha de comunicação para informar a comunidade sobre a atuação desta fiscalização.

Segundo documento entregue ao mandatário, que também foi assinado pelos representantes das Associações de Surf, Pescadores, Comunitária, Canoeiros e Barraqueiros, “a comunidade da Guarda do Embaú tem interesse em participar ativamente na construção do modelo de desenvolvimento para a região, e expressa neste documento, inquietações, dúvidas e anseios em relação ao planejamento, presente e futuro, no que concerne a questão da balneabilidade do Rio da Madre.”

Esta preocupação já tinha sido tema de outro documento entregue à vigilância sanitária de Palhoça pela Associação Comunitária, em 30 de novembro de 2017, quando alertava sobre o problema.

O documento entregue na oportunidade destaca também “que vivem na localidade dezenas de famílias devidamente registradas nas colônias de pesca que sobrevive da pescaria tradicional e dependem diretamente da manutenção dos recursos naturais, em especial os recursos hídricos, assim como, o restante da população local, que mantém sua atividade econômica ancorada no turismo e no comércio, cujo indício de falta de saneamento é também questão de saúde pública.”

Atento aos questionamentos, o prefeito disse que o “período intenso de chuvas altera muito o lençol freático e culmina com picos de balneabilidade imprópria, mas vai colocar o assunto na pauta da vigilância sanitária para agilizar a fiscalização e tentar conter abusos que possam estar poluindo o rio”.

A reunião contou ainda com a participação do Dr. Guilherme Dallacosta, membro da Comissão do Meio Ambiente da subseção da OAB de Palhoça, que de agora em diante estará acompanhando e será um importante apoio nas questões jurídicas que envolvem as ações da Reserva Mundial de Surf (RMS).

Tainá fica em terceiro no Pro Jr da Austrália

Tainá em ação na Austrália. foto WSL.

A surfista Tainá Hinckel Santos, local da Reserva Mundial de Surf Guarda do Embaú, ficou em terceiro lugar no mundial Pro Jr, finalizado  nesta quarta-feira (10), em Bombo Beach, Kiama, Austrália e só foi barrada pela campeã na semi-final. O havaiano Finn McGill e a taitiana Vahine Fierro conquistaram o título em ondas pouco maiores de meio metro e prejudicadas pelo vento.

Tainá foi a uma das representantes da América do Sul na competição e ganhou a vaga no RDS Pro Jr, realizado no mês de outubro, na Guarda, quando ficou com a segunda colocação. Antes de ir para a Austrália a jovem fez uma parada no Hawaii. Agora, já de malas prontas, vai encarar uma competição da segunda divisão mundial (QS) 6.000, na Flórida (USA) e logo após, volta para a Austrália para participar de outras competições.

“Estou muito feliz. Nâo tem muito o que falar, realmente foi difícil  vencer várias meninas boas, mas isso me deu confiança”, declarou Tainá, via aplicativo whatsapp, que deve retornar para o Brasil somente no mês de março. Ela viaja com seu pai, Carlos Kxot, surfista e seu técnico.

.