Guarda recebe palestras sobre esgotamento sanitário

Cartaz do evento

O saneamento básico tem sido um tema recorrente na região do Vale do Maciambu, principalmente na área costeira, e é justamente sobre este tema que começa, hoje, dia 12, as 19 horas, no Salão Paroquial da Guarda do Embaú, o Ciclo de Palestras “Esgotamento Sanitário na Baixada (Vale) do Maciambú”.

Os temas em debate serão “Zonas úmidas da Baixada do Maciambú”, apresentado por Luiz Pimenta; “Sistema de Tratamento de Esgoto”, com Beny Rousso e “Políticas Públicas para aplicação de Wetlands (áreas úmidas)”, com professor Eduardo Rodrigues. A “abertura e contextualização” será por conta de Haliskarla de Sá e no encerrramento os presentes poderão fazer perguntas.

Guarda é aprovada para ser a próxima Reserva Mundial de Surfe (RMS)

Galera (com a foto do Ricardinho ao fundo) celebrou a notícia no restaurante Guarda La Rara .

Guarda do Embaú agora é a mais nova Reserva Mundial de Surfe (RMS). O Conselho Visional das Reservas Mundiais de Surfe (World Surfing Reserve – WSR) e a Save the Waves Coalition, com sede na Califórnia (USA), aprovaram, oficialmente, no dia 27 de outubro de 2016, a iniciativa da Associação de Surfe e Preservação da Guarda do Embaú (ASPG) para inclusão da praia na prestigiada rede de Reservas Mundiais de Surfe. De quebra, a praia foi a primeira a ser indicada no Brasil.

O programa da Save the Waves Coalitioan existe desde 2009 e tem como parceiros a International Surfing Association (ISA), a National Surfing Reserves Australia (NSR) e a Center for ResponsibleTravel (CREST), de Stanford (USA). Desde julho de 2013 a Guarda do Embaú buscava a certificação. De quebra, a Guarda do Embaú é a primeira a ser aprovada no Brasil.

Localizada ao Sul do município de Palhoça, na divisa com Paulo Lopes, distando cerca de 46 km de Florianópolis/SC, a Guarda do Embaú é um vilarejo inserido no Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, ponto privilegiado da Mata Atlântica. É considerado é um dos locais mais belos do mundo, ficando entre um costão que avança mar adentro e uma ponta de areia recortada pelo Rio da Madre. Esta característica faz com que ondas de excelente qualidade quebrem na boca do rio e em sua orla, atraindo a atenção dos surfistas do país e do mundo.

E foi pensando na continuidade destas características para as futuras gerações, principalmente no quesito “ondas de excelência”, que a (ASPG), fundada em 1987, fez o pedido em 2013, cuja escolha é realizada anualmente.

Desde então a ASPG intensificou suas ações para obter apoio e divulgar a ideia, pois sua diretoria entendia que a iniciativa poderia criar ferramentas para educar, conscientizar e auxiliar a gestão pública desses lugares considerados especiais como a Guarda do Embaú, além de fornecer instrumentos às comunidades locais para proteger as ondas e o seu entorno, buscando alertar as pessoas sobre a necessidade de projetos que visam o Turismo com sustentabilidade e responsabilidade.

Dentre os objetivos principais da RMS, destaca-se:

– Criar e gerenciar uma rede contínua e global de Reservas de Ondas com excelência reconhecidas pelos surfistas, amantes da natureza e o público em geral.

– Colocar uma camada adicional de proteção para as áreas consagradas; capacitar a gestão da administração a nível local, e educar amplamente o público sobre o valor desses lugares especiais.

– Unir os surfistas e os amantes da natureza para proteger zonas de surfe do mundo mais sagrados.

– Inspirar, organizar e construir a capacidade das comunidades locais para continuar a proteger as suas próprias ondas. Deve servir como uma força cultural e ambiental significativa para proteger locais de surfe e o litoral ao redor do mundo.

Nove Reservas Mundiais de Surfe (RMS) já foram mapeadas no planeta: Santa Cruz e Malibu (USA), Bahia de Todos os Santos (México), Ericeria (Portugal), Huanchaco (Peru), Manly Beach e Gold Coast (Austrália), Punbta Lobos (Chile e Guarda do Embaú (Brasil). Dessa maneira, incluídas em um modelo global de preservação das ondas, zonas de surfe e ecossistemas. Todas foram avaliadas e escolhidas com base em quatro critérios: qualidade da onda; características ambientais; cultura e história e apoio da comunidade.

Mas além destas características para a escolha da Guarda do Embaú, outro ponto mencionado pela entidade internacional na justificativa para a concessão da honraria foi o fato do surfista ídolo local Ricardo dos Santos, citado como uma lenda do surfe brasileiro, ter apoiado a iniciativa ainda quando diretor da ASPG.

Além disso, o pedido (aplicação) enviado à Save the Waves Coalition contou com 23 moções de apoio de órgãos governamentais, entidades e pessoas de diversos segmentos.

No entanto, segundo Nick Mucha, diretor do programa RMS, “antes da cerimônia de consagração oficial algumas etapas terão que ser vencidas como o anúncio de aprovação; evento para anúncio local; formação e engajamento do Comitê de Gestão Local (GL); captação de recursos; planejamento e gestão; cerimônia de “Dedicação” e implementação contínua”.

Todas estas ações não têm datas pré-definidas, devendo acontecer conforme as decisões do Comitê Gestor Local.